Equipamento de Ressonância Magnética inovador entra em funcionamento no Hospital de Santarém

O Hospital Distrital de Santarém (HDS) instalou um inovador equipamento de ressonância magnética (SIGNA ARCHITECT 3T-), da General Eletric, com características únicas no Serviço Nacional de Saúde.

O projeto representa um investimento de 2,150 milhões de euros e foi financiado em 85% por fundos comunitários.

Ana Infante, presidente do Conselho de Administração do HDS, salienta que “esta técnica de diagnóstico, considerada atualmente essencial para o tratamento de doentes, vem permitir a internalização destes exames, deixando de ser necessária a deslocação dos nossos utentes a instituições no exterior”.

Para a responsável, “este investimento representa mais um passo na diferenciação técnica que se perspetiva para este Hospital e vem contribuir para prestarmos cuidados de saúde com maior qualidade aos nosso utentes”.

Isabel Sapeira, diretora do Serviço de Imagiologia, realça que a concretização deste projeto “representa uma mais-valia clínica para os utentes e consequente redução em custos financeiros e operacionais inerentes à realização destes exames em outras instituições hospitalares”. Segundo a médica, “a aquisição deste equipamento permite que o Serviço de Imagiologia tenha acesso ao estado da arte em termos de diagnóstico clínico por imagem e vai possibilitar ao HDS aumentar “de forma relevante” o número de exames efetuados no hospital”.

A diretora do Serviço de Imagiologia destaca que “o equipamento dispõe de bobinas AIR™ revolucionárias, com um ‘design´ leve e flexível, que oferecem versatibilidade clínica com maior liberdade no posicionamento, maior conforto e cobertura do utente, permitindo a realização de exames de corpo inteiro, bem como todas as características de um equipamento de topo de gama que permitirão dar respostas à população na área da senologia, neurologia avançada com exames funcionais e todas as vertentes da oncologia”.

“Nos últimos anos, a RM estabeleceu-se a nível global, como técnica imagiológica fundamental a qualquer Serviço de Imagiologia de um Hospital, para isso contribuíram principalmente dois fatores, a versatilidade clínica, representada pela capacidade de diagnóstico diferenciado nas mais variadas áreas clínicas e a ausência de utilização de radiação ionizante na realização de exames da área de Corpo e Neuro com especial enfase na faixa etária pediátrica”, conclui Isabel Sapeira.

Nas suas plataformas digitais, o HDS salientou que “a aquisição deste equipamento é mais um dos projetos desenvolvidos pelo Serviço de Imagiologia, que nos últimos 10 anos tem vindo a implementar um plano de inovação e diferenciação tecnológica”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s